domingo, 10 de março de 2013

Capitulo 10 - (Fan Fic) Quebrando Barreiras!Construindo Laços!


CAPÍTULO 10 MEU.................É Tudo Meu.


POV BELLA

O sono da noite não surtiu o efeito esperado, eu deveria acordar descansada e serena .


Porém isso não aconteceu, sonhos perturbadores ameaçavam meu sono parece que minha mente e meu corpo estavam traindo as minhas convicções.
O beijo, o único responsável por minha imaginação ganhar asas e criar todo um cenário onde Edward e eu estávamos transando loucamente, suas investidas entravam tão profundo no meu centro úmido que eu podia jurar que foi real, o toque de suas mãos apertavam e me amassavam por inteira, “aqueles dedos mágicos” estavam fazendo um estrago, ou melhor, um reparo na minha intimidade que se abria alegremente para recebê-los.
Mesmo depois de anos e beijos frios sem significados. Agora o Edward me apronta essa, maldito beijo gostoso e terno.
MERDA! O que está havendo contigo Isabella? O único que deveria ser o protagonista nos seus sonhos eróticos é o Scott, o seu namorado.
Não tenho dúvidas estou enlouquecendo, a minha própria consciência estava me punindo por ter correspondido com eficácia aquele beijo e ainda por cima me excitar enquanto sonho com sacanagem pura. Na madrugada quando acordei podia sentir minha calcinha ensopada e a dor latejante não era das melhores. Devo fazer uma anotação mental: Não passar tanto tempo com a Tânia, isso está afetando minha índole.
Pra afugentar esta vontade proibida, liguei para o único homem que tem o direito de me tocar ou me levar ao delírio.
Scott.
Infelizmente ele estava se preparando para uma cirurgia de emergência e só nos falamos alguns minutos, mais tarde ele me retornaria a ligação.
Hoje eu fiz algo que não é meu feitio fugi feito uma criminosa, seguindo a mesma rotina das manhãs lá estava eu deixando meus filhos no colégio e claro; Edward também estava lá (ao que parece isso virou sua rotina também)
Não nego, fui covarde e temia por minha reação de frente a ele após toda a conversa que tivemos ontem ,ele se abriu comigo ,me confidenciou o que Jacob falou e também teve............. Aquele BEIJO, o caminho para buscar Tânia foi perturbador ,tremendamente longo e sem assunto . Sem falar que pela primeira vez eu desabafei e chorei tudo que estava entalado há muitos anos, e francamente se eu soubesse como isso me deixaria mais leve teria feito há mais tempo.
O foco no meu trabalho estava zero, as folhas caindo através da vidraça estavam dispersando minha atenção, girava minha cadeira para um lado e para o outro em busca de concentração, seria melhor se tivesse voltado pra casa da Tânia e ajudado Esme e toda a equipe com a mudança para o condomínio. Adoro meu estúdio, mas definitivamente hoje minha única motivação de vir até ele, era apenas um, cujo nome e sobrenome era Jacob Black.
Para aumentar minha distração, nos corredores a movimentação estava agitada e era possível ouvir passos apressados e vozes alteradas.

_Bel eu juro que não permiti este homem entrar, mas_ Nessie abriu minha porta num rompante se explicando com um tom de voz nervoso e logo atrás dela o pai dos meus filhos.
Conspiração, o destino estava conspirando contra mim. Parado na porta estava um Edward pra variar num terno muito bem alinhado cor carvão, os cabelos molhados e indomáveis um verdadeiro sacrilégio aos meus olhos, a barba baixinha por fazer, esta que ontem foi a responsável pelas manchinhas vermelhas na pele sensível do meu pescoço, mas ainda sim sexy. No entanto, o pior era o perfume.
Eternity da Calvin Klein, reconheceria esta fragrância a quilômetros misturada ao seu cheio másculo e pura testosterona eu precisaria de reforços para manter-me intocável e longe das mãos deste homem.
_ Desculpe o alvoroço, mas sua irmã não estava disposta a cooperar_ Edward se queixava fazendo Nessie revirar os olhos, certamente irritada por seu tom imperial.
Eu não queria confusão ou nem mesmo brutalidade, entretanto já que Edward está aqui “então vamos dar nome aos bois” como diz meu velho pai.
_Vanessa vá até a sala do Jacob e diga que exijo sua presença de imediato_ ordenei.
Minha irmã ficou pálida, e pareceu gaguejar ao tentar arrancar o motivo da reunião improvisada. Estranho, muito estranho desde quando Nessie fica sem graça ou constrangida.
_Devo admitir que você fica desejável quando assume esta postura autoritária, eu não me importaria de andar sobre suas ordens _o safado e conquistador Edward Masen aproveitava a ausência da minha irmã, estávamos somente nós dois na sala. Ele dizia enquanto caminhava até minha cadeira. Epa, ele estava ficando perto demais para meu gosto.
Dai-me forças senhor.
_Sendo assim ordeno que se retire daqui _ ele não gostou do meu trocadilho, e eu estava desesperada pra manter certa distância saudável entre nós.

_ Tudo menos isso I s a b e l l a_ desgraçado! Parecia que estava cantando o meu nome, quando foi que me deixei cair nas teias do encanto deste maldito?
Como um bom influenciador ele manteve alguma distância, porém fazendo seu cheiro me tomar por inteira. Ficou parado em frente à janela observando a vista lá fora, parecia assoviar uma canção, algo tão inusitado vindo dele. Aparentava estar leve e relaxado, notei que as olheiras desapareceram, com certeza resultado de uma boa noite de sono ou talvez algo mais, Edward não é o tipo de homem que dorme sozinho (esse pensamento me fez sentir medo com um misto de raiva). Ainda de costas ele me questionou, mas eu podia sentir como estava sorrindo ao falar.
_Diga-me Isabella, por que será que eu tenho a impressão que você estava fugindo de mim mais cedo?_ bastardo, ele estava me testando. Conheço este tom de voz quando quer arrancar palavras da minha boca, aos poucos virou seu corpo de frente pra mim, laçou minha cintura com seus braços fortes e mãos enormes depositando beijos no meu pescoço, depois meu rosto. Estava lentamente me torturando encaminhando seus lábios ao canto da minha boca. Minhas pernas pareciam mais moles que gelatina, mas ainda sim tinha noção que isso estava errado.
_Pare, por favor, sabe que não devemos _o empurrei, o que não surtiu nenhum efeito__ EXIJO QUE PARE AGORA EDWARD MASEN.
Sem graça ele caminhou de volta ao lugar que estava amparado próximo a janela, antes que me respondesse um Jacob Blaçk mais branco que papel acompanhado por Nessie romperam meu recinto, nem se dando ao trabalho de checar quem estava na sala.

_ O que houve Bella? Nessie disse que você tinha urgência em me ver.
Cruzei minhas pernas e retirei meus sapatos, podia sentir como meus pés estavam doloridos, última coisa que precisava era algum desconforto pra lidar com este tema.
_Tem certeza que não sabe do que se trata Jacob? Não tem nada a me confessar? _ perguntei usando uma ternura que no momento não existia.
A ficha pareceu cair sobre sua mente. Ele encarava Nessie que evitava o seu olhar.
_ Bella eu.................... Eu quero ............ Quero dizer.......... não; dizer não ....., na verdade ...........quero implorar que não ligue para o Charlie,........aque....aquele ...... Aquele outro dia nós estávamos discutindo e discutindo alto, você sabe como a Nessie é mandona e chata, né? Ela me tira do sério e ainda tinha a questão dos hormônios. Quando percebemos estávamos sem roupa e matando a fome do nosso corpo, quero dizer eu não forcei a Nessie a nada, ela fez por que queria, na verdade ela que me pegou de jeito . Que papo é este?
Olhei Edward que a princípio encarava o moreno a sua frente com ódio mortal, mas percebendo sua confusão ele segurava o riso diante do mal entendido.
Jacob falava sem parar ainda alheio a presença do Edward, Nessie roía as unhas nervosa.
__ Bel, por favor, não conta ao papai, foi algo sem importância, calor do momento, pra que incomodar o velho com essas banalidades_ era isso, ela estava com medo de ser despachada pra casa dos pais e Jacob intercedendo a seu favor com medo do Tenente Charlie e sua moral de destemido e bravo.
Assim que Nessie se explicou Jacob a encarava sério e eu diria até raivoso.
_Quer dizer que foi banal e apenas calor do momento?_ ele perguntava entre dentes.
Irritada com a ceninha, levantei da minha cadeira e aumentei o volume da minha voz.
_ Pouco me importa o que acontece entre vocês, são adultos vacinados e cientes dos próprios atos. O que me interessa é a vida dos meus filhos. Então pergunto; Jacob Black conhece este senhor?
Avaliando sua reação inesperada ao ver Edward, sim ele recordava quem era. Nessie cruzou os braços sem entender nada.
_Bel o que esse nefasto tem haver com o assunto?
Sorri com uma mistura de escárnio e ironia ao responder.
_ Talvez você tenha algo a me contar Jacob. Por exemplo, quando que eu fiz eu aborto? Ou até mesmo; quando foi que eu estive fora do país? Claro, com exceção dos meus seis meses na França. Minha memória esta fraca por que não recordo de ter passado por isso.
Edward sentou na cadeira a minha frente e aguardava a resposta de Jacob que o olhava com nojo, e pra minha surpresa meu amigo estava decepcionado comigo, eu podia sentir sua magoa ao olhar pra mim.
_ Bella eu fiz o que qualquer amigo faria, estava preocupado em protegê-la juntamente com seus filhos. O único aqui que deve explicações é este porco, se eu nunca contei isso pra você foi apenas tentando evitar lembranças desagradáveis _ Jacob caminhou até mim e me encarou com raiva_ Na falta de coragem por culpar o único responsável você transfere seu desprezo a mim, uma das pessoas que lhe ofereceu a mão pensando estar ajudando.
Não nego senti repulsa ao descobrir o envolvimento de Jacob contando esta mentira, talvez, só talvez as coisas pudessem ter seguido outro percurso. Mas claro não retiro o peso das costas do Edward, ele foi o causador desta enorme bola de neve.
_ Diga-me uma coisa Jacob, como você sabia quem era o Edward, por que os únicos que sabiam sua identidade é Nessie e Seth? _perguntei.
Edward e Nessie pareciam tão atentos quanto eu pela resposta
_ Eu estava próximo à recepção quando esse canalha tentava comprar informações ao seu respeito, a voz autoritária junto à presunção e o pouco caráter não me deixaram dúvidas. Ainda existiam as semelhanças físicas que você já tinha mencionado, cabelo ruivo e os olhos verdes. Ou seja, o único responsável pelo seu sofrimento _Jacob estava quase chorando, pelo visto eu estava colocando nossa amizade em risco e esta eu não queria perder de maneira alguma. Precisava reverter este quadro.
_ Desculpe-me Jacob você estava apenas fazendo aquilo que julgou ser o correto e eu agradeço muito pelo zelo e carinho que você tem dedicado todos estes anos, mas isso não justifica você ter escondido esta informação de mim._ não queria ser hipócrita e dizer que não me importava, sendo que isso mudava muitas coisas a meu ver.
Edward estava inquieto, às vezes abria a boca pra se defender, mas eu o olhava com repreensão, este não era o melhor momento. Ao que parece ele não sabia entender isso e mesmo assim se intrometeu.
_Eu quero deixar bem claro; que eu tenho conhecimento da minha culpa e meus erros. Deus sabe como lamento ter dito aquilo, porém eu tive a minha consciência tomada de arrependimento nos minutos seguintes que fiquei sozinho, tudo que eu queria era a chance de me explicar com a Bella e receber seu perdão,mesmo não o merecendo. E você mentindo daquele jeito afetou não só no meu futuro, mas sim no dos meus filhos.
Ao contrário do que eu imaginava Edward não queria comprar briga ou partir pra uma discussão acusatória com Jacob, estava apenas se redimindo e mostrando seu lado. Não nego que o amadurecimento do Edward estava me tocando, temia muito por sua reação cara a cara com meu melhor amigo.
_Pouco me importa se você se arrependeu ou não, ao que tudo indica você já foi perdoado_ Eu podia sentir o tom de acusação na voz de Jacob, ele estava dizendo isso mais pra mim do que para o Edward.
Irritado e chateado comigo, Jacob saiu batendo portas e Nessie logo atrás, com certeza iria prestar consolo.
Odiava quando as coisas saiam do meu controle, e perder meu melhor amigo nunca fez parte dos meus planos. Apesar de mentir e ocultar algo tão importante, eu conseguia entender seu cuidado e proteção para comigo e meus filhos, afinal ele me viu chorando e com o coração todo machucado após ouvir as palavras fatais da boca do Edward. Este estava atento nas diversas emoções que passavam pelo meu rosto. Parece que de agora em diante seria assim, Edward sempre tentando desvendar o que se passa na minha cabaça.
_Por favor, Bella, tudo que eu disse é a mais pura verdade, eu quero seu perdão, eu necessito dele para viver em paz, quero ser pai dos nossos filhos, eu quero formar uma família ao seu lado. Perdoe-me?
Malandro! Edward está ficando bom com esta coisa de palavras bonitas e sentimentais. Mas desta vez ele não me enrolaria com suas lorotas, claro, em partes eu estava balançada, por outras ainda desconfiava suas boas intenções, não sabia até onde ia os seus limites.
_Você não vai formar família do meu lado, por que eu tenho namorado e o futuro que planejo é ao lado dele_ o seu rosto se torceu numa expressão de cólera, mas ele não me causaria efeito algum com esta encenação barata __Mas certas verdades nunca se desfazem existe ex-marido, ex-namorado, mas não existe ex-pai e isso eu não posso mudar, mesmo não confiando em você __Edward estava em algum conflito interno, ao mesmo tempo em que sorria estava triste_ Quanto ao perdão, não é a mim que deve pedi-lo e sim aos seus filhos, por que mais cedo ou mais tarde eles vão saber o que você fez.
Derrotado ele sentou numa poltrona próxima a porta, colocou as duas mãos no rosto e começou a chorar. Aquilo me pegou desprevenida, ver a cena estava me matando, eu podia sentir sua sinceridade e o quanto as minhas palavras o atingiram mais que um tapa na cara. Ninguém é tão bom ator ao ponto de fingir certas emoções.
_Eu só preciso de uma chance Bella, por favor, não me negue isso _ele dizia enquanto secava as lagrimas traiçoeiras _ Pelo que fiquei sabendo, hoje você vai estar muito ocupada organizando a mudança para a nova casa, permita que eu leve os gêmeos pra passar à tarde comigo, eu vou cuidar muito bem deles prometo _Edward pediu como se estivesse pegando um material de escola emprestado, tanta naturalidade. Mas pra mim isso era difícil, não sabia até que ponto ele estava falando a verdade.
Fiquei divida entre a razão e emoção.
Por fim , já sabia o que responder.
___Não, eu não permito. Por hora não quero você tão perto deles.
Aquele olhar sofrido e desesperado estava lá, mais presente que nunca. Tentando me persuadir e desvendar as minhas desconfianças.
__Eu só preciso de uma chance, Merda! Eu sei que fui um canalha, um imprestável. Sei que errei, mas estou aqui tentando fazer tudo diferente. Por favor Bella, pelos nossos filhos, assim como eu quero recebe-los e prestar assistência como meus filhos, eles merecem um pai já ficaram tempo demais sem isso.
Levei minhas mãos no rosto recordando das palavras da Alice.
Apenas lembre-se querida, errar faz parte da natureza humana, e se ele esta verdadeiramente arrependido não seja dura com ele e nem consigo mesma. Pense nos seus filhos, o quanto fará diferença eles sentirem uma presença paterna por perto. Eu sei que você não deixa faltar nada aos gêmeos, mas acredite em mim é essencial ter um pai presente.”
Edward parecia impaciente aguardando minha resposta, eu estava trabalhando a mil dentro da minha mente caçando uma maneira de não negar o pedido e nem deixá-lo sozinho com eles.
_Tudo bem Edward eu permito_ ele sorriu satisfeito, podia sentir o alívio no seu rosto_ Desde que a Nessie possa acompanhá-los.
O sorriso largo logo sumiu dando lugar a decepção e tristeza.
_ Por que isso Isabella, acha que vou fazer algum mal a eles?
Cruzei meus braços, acho que pra isso não precisava de respostas. Estava obvio.
__Edward, de uma vez por todas entenda que as nossas últimas conversas , a descoberta do envolvimento do Jacob e aquele beijo nojento, não anulam em nada, veja bem EM NADA A SUA COTA de culpa .Estou ciente do seu arrependimento, mas preciso pensar e saber por onde começar a agir .Tudo que faço é apenas pelo Enzo e a Louise, por que francamente se fosse somente por você eu já teria permitido que meu pai furasse o seu crânio.
Edward estava se mostrando um homem fraco e muito emotivo, seus olhos brilharam decepcionados, e o corpo tremeu com minha última confissão.
_Tudo bem. Se preferir assim eu não me importo, vou mostrar que mudei de verdade , mas talvez o Seth pudesse ir no lugar da rebelde sem causa, essa garota me odeia __Masen pareceu refletir e chegado a uma conclusão que mais vale um pássaro na mão que dois voando.
Eu queria rir da cara de pânico dele.
_Não se engane Edward. O Seth é apenas discreto, mas pode ter certeza ele te odeia tanto quanto a Nessie ou talvez mais um pouco. Se você aceitar esta condição eu deixo, não confio em você pra passar o dia junto dos meus bens mais valiosos.
Sabia que estava pegando pesado, mas se ele queria conquistar seu lugar, teria de aprender a lidar com aquilo que fez. E eu não estava disposta a deixá-lo se esquecer tão facilmente.




POV EDWARD


Meu mantra: relaxe e respire, coisas boas passam e as ruins também.
Na prática isso é bem diferente, parece que tem um século que estou correndo atrás da Bella e mostrando o quanto estou ansioso por pegar meu lugar como o chefe de família, mas está difícil. Às vezes eu acho que posso salvar o mundo que ainda sim ela me verá como um vilão. Esta é a parte ruim.
Contudo, estou num momento bom, aguardando Bella arrumar as crianças para passearmos. Seria ainda melhor se a insuportável da Nessie ficasse num raio de mil quilômetros longe da gente, só que ir contra a proposta da Bella é o mesmo que desistir, e isso eu não vou fazer nunca.
__ Estão prontos? Louise nada de ficar pedindo pra comprar tudo o que vê pela frente e Enzo aproveite querido, mas nada de comer um monte de porcarias. Aquilo acaba com seus dentinhos _Bella descia as escadas segurando a mão de cada um, como toda mãe coruja e preocupada ela estava fazendo sua lista de recomendações.
Nessie estava logo atrás com seu jeans rasgado mostrando quase toda a perna e uma camiseta preta de caveira. Louise estava parecendo uma mocinha com uma blusinha branca de alças e detalhes em renda, short jeans e sapatilhas vermelhas, as perninhas gorduchas em muito destaque por estarem bem amostra. Como toda garota ela estava com a boca coberta por uma camada rosa brilhante, até mesmo acessórios nas mãos como anel e pulseira de ouro. Eu mereço isso. Uma menininha tirando onda como uma adulta? Por outro lado Enzo estava num traje mais esportivo, bermuda jeans e a camiseta oficial do Mariners.
CAMISETA OFICIAL DO MARINERS????????
Como assim? O meu garoto torcendo pra um time de merda como este?
_ Edward o que está acontecendo? Por que esta cara de desagrado?_ é claro que a Bella não ia notar lago tão banal pra mente feminina.
Abaixei até as crianças e beijei as bochechas rosadas da minha garotinha, em seguida ergui Enzo nos meus braços.
_Campeão que camiseta mais feia é esta? _tentei parecer divertido.
Enzo parecia nem entender o que eu estava falando, Bella lançou um sorriso amarelo ao entender o que estava me incomodando.
_É um presente do tio Scott, eu tenho mais umas quatro camisetas, alguns bonés e chaveiros_ Enzo explicava enquanto eu fuzilava a Bella com os meus olhos.
Irritado eu desci Enzo do meu colo e encarei Bella.
_Como assim? Esse desgraçado pensa que é quem pra escolher o time de beisebol do meu filh _Bella arregalou os olhos com medo que eu falasse e me interrompeu.

_Edward não censure o Scott ele foi apenas agradável presenteando o Enzo, e tem outra ele é muito pequenininho pra ter preferências ou gostar de esportes como vocês adultos.
Quem esse cara pensa que é? Já não basta ter roubado minha mulher, os meus filhos e agora isso. Era só o que me faltava.
_Tem coisas que se aprende desde pequeno, é de cedo que começa o dia._ falei pegando Louise no colo, segurei a mão de Enzo puxando ele comigo_ Vamos crianças; e Enzo vou te mostrar o que é um time de verdade parceiro.
Bella nos acompanhou até no carro, pela sua cara parecia estar fazendo um sacrifício enorme me deixando levar os meninos, não tive tempo de me sentir ofendido ou querer me explicar, estava ansioso demais por desfrutar algumas horas na companhia daquelas pessoinhas adoráveis.
Dentro do carro Nessie ouvia alguma coisa no seu Ipod e digitava mensagem no celular, as crianças conversavam entre si sobre o lugar que íamos passar ao longo da tarde.
_E então, o que vocês querem fazer? Tem algo em mente?_ perguntei.
Depois de muita discussão e cada um falando alguma coisa ao mesmo tempo, optamos por ir ao shopping e assistir um filme.
Ao acabar de estacionar meu volvo, ajudei as crianças descerem. Nessie parecia perdida no seu mundo juvenil ouvindo Heavy Metal e procurando por alguém em todos os cantos, caminhando rumo ao pátio central encontramos nada mais nada mesmo que Jacob Black encostado na parede e de braços cruzados, pelo visto teríamos mais alguém de sentinela. Nessie sorriu largamente ao encontrar seu objeto de procura.
__Tio Jake __ as crianças gritaram ao correr de encontro ao moreno bombado, pulando no seu colo.
_ Meu Deus como vocês estão pesados, o que estão comendo? Fermento? Só pode por que estão grandes e pesados_ Jacob levantava as duas crianças ao mesmo tempo, fingindo estar tendo dificuldades de erguê-los.
Pelo visto minha sina é dividir meus filhos, primeiro um namoradinho de merda achando ter autonomia de ensinar meu filho a torcer pelo time errado de beisebol, depois uma Nessie chata no nosso pé e agora isso e o pior é que meus filhos estavam adorando a companhia do palhaço de plantão.
_ Edward; Jake e eu tivemos uma longa conversa _Nessie sussurrava para as crianças não ouvirem_ Isso não quer dizer que gostamos ou confiamos em você acredite estamos bem longe disso , mas estamos dispostos a cooperar. Vamos manter certa distância dando privacidade a vocês. Mas estaremos por perto sempre analisando e qualquer deslize seu ,já era.
Este ato me pegou de surpresa, porém feliz. Alguém conseguia enxergar minhas ações. Só não esperava que fossem esses dois.
_Edward então vamos lá escolher o filme_ meu filho dizia empolgado enquanto puxava o tecido da minha calça
_Vamos sim campeão.
Segurando a mão das crianças uma de cada lado fomos adquirir ingressos pra logo em seguida comprar pipoca, refrigerante, chocolates, Batata Ruffles e Doritos. Era esta hora que Bella se referia sobre não comer tantas besteiras, mas quem liga?
_Quem vai pagar por tudo isso meninada?_ eu tentava ser divertido assim como o Jacob, sair com crianças e ser descolado não faz parte da minha rotina. Eu precisava aprender a ser legal, ou melhor, muito mais irado que o tio Scott. Que ódio desse panaca.
_Você convidou então você paga _ Louise respondeu na ponta da língua. Enquanto a irmã me provocava, Enzo procurava por dinheiro nos bolsos da bermuda.
_EU acho que isso deve dar, e você pode ficar com o troco _Enzo esticou as mãozinhas com algumas miseras moedas, eu sorri tão orgulhoso com seu ato, não tinha dúvidas Bella estava fazendo um ótimo trabalho educando essas crianças.
_Eu estou apenas brincando com vocês, eu vou pagar tudo o que vocês quiserem _expliquei. Claro que tanta besteira não sairia tão caro, mas acabei me assustando quando vi o valor, os risos dos meus filhos apontaram um lugar onde estavam Jacob e Nessie com as mãos ocupadas carregando muitas variedades de salgadinhos, e aperitivos.
O sorriso largo e arrogante do Black me fez odiá-lo ainda mais, Nessie passou por nós e piscou pra mim.
__Valeu Masen pelo agradinho, quando estes acabarem você nos compra mais.
Era isso eu estava bancando o passeio deles, mas se este era o preço pelo sossego longe deles eu pagaria feliz.
_Eles são folgados _ escutei Louise sussurrar com o irmão.
_ você também Ise, eu vi quando a mamãe te entregou dindin e você guardou no bolso, não os ofereceu ao Edward pra ajudar a pagar.
_UÉ! O Edward tem dindin, bom que eu não gasto o que a mamãe me deu e ainda coloco no cofrinho. _Louise vai ser uma excelente investidora, tão pequena e com ótimos reflexos.
Estava cobrindo minha boca com a mão, queria rir do diálogo dos dois, quer dizer que minha filha é uma espertalhona? Dando a rasteira no próprio pai?
_Vamos entrar antes que o filme comece _ falei.
A escolha do filme foi categórica, desenho animado e algo recreativo. Enquanto procurávamos um lugar nem tão próximo à tela e nem tão no fim da sala, avistei Jacob e Nessie se acomodando bem no fundão. De uma coisa eu não tinha dúvidas, eles estavam com más intenções e estas não eram focadas em me vigiar.
Estávamos com uns quarenta minutos de filme uma verdadeira chatice devo dizer, estava entediado e não consegui me concentrar na exibição do longa metragem. Não ajudava em nada olhar pra trás e ver a forma como Jacob parecia engolir a boca da Nessie, suas mãos estavam famintas pegando em todas as partes no corpo da moça. Meu Deus, aquilo estava me fazendo um estrago juntamente a minha mente vazia que se lembrava de muita sacanagem onde Bella e eu éramos os protagonistas, a última vez que eu vim no cinema foi na companhia de Bella. A melhor sessão que tive em toda minha vida, desde o boquete no capricho ao sexo improvisado nas cadeiras de péssimo conforto, no dia seguinte eu sentia minhas costas reclamarem pela dor, mas meu pau estava feliz da vida com a brincadeira do dia anterior.
Só de lembrar, eu podia sentir como estava ficando duro, levei minha mão sobre a calça tentando ajusta-lo, mas foi em vão, este é um dos males em ser um homem, não tem como pensar em sexo quente sem se constranger pela mala que se forma entre nossas pernas.
Ao meu lado estavam meus filhos, eu precisava focar em outra coisa e parar de sentir esta necessidade de meter. A menção desta palavra me fez arrepiar. Céus se eu continuar desta forma eu vou sofrer com o caso de bolas azuis, a masturbação já estava falhando não cobrindo todas as minhas necessidades. Respeito Isabella e o seu tempo, mas eu sou homem e meu corpo anseia pelo prazer com ela, resumidamente meu pau só a quer, o que é ainda pior ele tem vontade própria. Eu preciso meter fundo na minha Bella.
Edward foco, mude de pensamentos, procure outro assunto que distraia esta indigência”. Minha mente pensava, e eu devia pensar ou então passar esta vergonha ao lado dos meus filhos.
_Edward este filme é chato, vamos embora ?_ Louise disse impaciente cruzando os bracinhos.
_É mesmo está muito ruim, podemos ir a outro lugar? _Enzo perguntou.
_Claro, vamos sair daqui e olhar algumas coisas pelo shopping _ falei.
Antes que saíssemos, olhei para o casal assanhado e fiz sinal com minhas mãos dizendo que estaríamos lá fora. Jacob respondeu em sinal que em alguns minutos sairiam, mas eu sabia que ele precisava se “arrumar”, com certeza estava empolgado com o amasso.
Do lado de fora, eu não perdi tempo e levei os gêmeos numa loja de itens esportivos. Comprei desde camisetas, calção, bermudas e bonés dos Yankees, não só para o Enzo, queria ensinar minha garotinha a torcer pelo time também. Seguimos para uma loja de eletrônicos e presenteie cada um com um celular , um dos mais caros e modernos , gravei meu número neles e disse que podiam me ligar a qualquer hora do dia.
Voltamos à praça de alimentação para esperar por Jacob e Nessie, que demoravam demais na sala, com certeza resolveram esticar a sessão e sinceramente eu estava me corroendo de inveja, precisava com urgência de uma boceta molhadinha onde escorregar.
Escolhi uma mesa mais nas laterais pra ficar fácil o casal nos achar. Fizemos os pedidos e novamente mais um monte de besteiras, Bella vai me matar se descobrir.
_Meninos a mãe de vocês não vai gostar de saber o tanto de porcaria que estão comendo_ eu esperava que eles entendessem o recado e não verbalizassem isso pra ela.
_De boa, mamãe não vai brigar com você_ Louise estava começando a me preocupar com as gírias e palavras inusitadas. Influências da Tia Nessie, não me restavam dúvidas.
Enzo comia batatas fritas e mergulhava num copão de Coca-Cola. Mas os pensamentos dele pareciam longe, o olhar estava vago e perdido.
_Você não tem filhos Edward? _ ele me perguntou de repente.
Pergunta esta que me despertou uma vontade de contar sobre eles, mas ainda não tinha conversado sobre isso com a Bella. Também precisava sabe o que achavam de mim e como me receberiam como seu pai.
Optei por dizer meia verdade.
_Eu tenho dois filhos, mas convivi muito pouco com eles, com certeza algo que vai mudar de agora em diante _falei.
_ Você pode levar eles lá em casa pra gente brincar_ Louise falou usando um guardanapo em frente à boca pra limpar qualquer vestígio de catchup.
_ Deve ser legal ter um papai, poder brincar ,contar historinhas pra nanar . Você leva seus filhos nos jogos dos Yankees? ­­__ Pelo jeito que Enzo perguntava eu pude sentir sua carência, ele sentia a falta de ter um pai e pelo visto o Scott, namoradinho de merda, não estava me substituindo neste quesito.
_Nunca fomos juntos, mas em breve eu desejo levar_ há muitos dias desde a descoberta de Bella e nossos filhos minha rotina mudou da água pra vinho, nem me lembrava de quando passei o dia todo na construtora ou quando fiquei até a madrugada estudando projetos, mesmo assim me sentia feliz descobri que o trabalho nunca completou meu vazio_ Vocês gostariam de ir ao estádio de beisebol comigo?
Eles sorriram e acenaram que sim, ambos estavam com a boca cheia pra responder.
_A mamãe não vai gostar quando vir essas sacolas, vai achar que a gente te pediu_ Enzo falou sobre as compras.
_ a mamãe proibiu a gente de aceitar qualquer presente _Louise dedurou Bella, o bom de crianças é que eles não têm filtro e falam sempre a verdade.
É claro que Bella faria isso, ela mesma sempre teve resistência em aceitar meus presentes. Não seria diferente agora.
_Eu converso com ela e explico que fui eu que insisti muito com vocês pra aceitarem. E outra , estes são presentes bons e caros .Não devem recusar.
Os dois me olharam como se eu fosse um alienígena.
__Mamãe diz , que presente tem que ter significado__ Louise falou e Enzo completou
__ E não valor, tem que vim do coração __colocou sua mãozinha no peito, me mostrando.
Eu estava levando um sabão de duas crianças. Me fez sentir , sujo e asqueroso .Estava aprendendo atento pra não fazer feio na próxima.
Louise ficou com as bochechas coradas e instantaneamente fiquei curioso sobre o que a minha princesa estava pensando que a deixou constrangida. Ela olhava algum ponto no meio da praça de alimentação, mantendo um olhar perdido e vago .
_Louise o que você está pensando?_ perguntei não me aguentando de curiosidade.
Ela ficou sem graça e foi pegar o copo de refrigerante tentando disfarçar, mas derramou boa parte do liquido escuro na sua blusa branca. Levantei da minha cadeira, ajoelhei no chão ficando a sua altura e fui ajudá-la a se limpar.
_Ficou feio, estou suja. Quero ir embora _Ela dizia com um biquinho e parecia forçar pra chorar. Entretanto notei que ela dizia isso continuando a olhar pra frente, estava prestando atenção em outra coisa.
_Tudo bem, vamos esperar sua tia e podemos seguir pra casa, há esta hora a sua mãe já organizou todos os objetos na casa nova.
Quando levanto do chão, dou de cara com Luna, ela estava boquiaberta observando as crianças e ao mesmo tempo me olhando. Desde o fracasso do nosso casamento, a encontrei apenas umas duas vezes com pouca conversa e outras de longe só no cumprimento .
_Edward quanto tempo, como vai?_ ela estendeu a mão e na face um sorriso feliz ainda mais bonita do que quando estávamos juntos_ E estas crianças lindas quem são? Esses olhos verdes são idênticos aos seus.
Estendi minha mão de volta e dei três beijinhos no seu rosto com alguma gentileza, mas sem nenhuma maldade. Perto do seu ouvido sussurrei.
_São os filhos da Isabella, lembra-se da história, não é?_ ela acenou concordando, respondi sua pergunta muda antes que verbalizasse._ Sim eles são meus filhos e descobri há poucos dias.
Com sua elegância ela puxou uma cadeira sentando ao lado de Enzo, este se encolheu acanhado e ficou algum tempo de cabeça baixa, já a Louise estava de cara fechada e braços cruzados.
_Eu quero ir embora AGORA _ a face vermelha da minha filha mostravam sua raiva, os olhos estavam tão límpidos quanto um dia de sol, mas lá estava ela forçando lágrimas a descer.
Marrenta.
Como Bella disse, eu estava presenciando uma das suas ceninhas fazendo birra. Só não entendia por que, ela parecia feliz minutos atrás.
_Já estamos indo querida._ falei enquanto alisava seus cabelos.
Luna observava tudo espantada, dizer que estava pasmada era pouco. Justamente por nunca ter presenciado crianças ao meu redor.
_Edward e como fica a sua situação? Digo com a mãe deles _Luna sussurrou.



Usando palavras não tão comprometedoras eu expliquei minha dificuldade com Bella, mas estava difícil focar na conversa com Luna, eu já estava preocupado com o agitamento de Louise. Enzo mal respondia educadamente todas as perguntas que Luna fazia, sempre com as bochechas coradas e tímido. Ela adora crianças e isso é muito visível, estava fingindo nem perceber o comportamento arredio deles . Antes que eu me levantasse para procurar Nessie, ela apareceu de mãos dadas com a muralha.
_Até que enfim titia , vamos embora _ Louise se levantou puxando o irmão com ela.
Eu mal me despedi de Luna e estava atrás deles. Só paramos quando Nessie avistou uma loja de brinquedos e entrou com os pequenos.
_Vamos levar isto, é perfeito pra brincarmos na rua do condomínio, lá é parado e não tem agitamento de carros, perfeito pra vocês se divertirem _Nessie segurava um patins nas mãos.
Eu não ia permitir isso, não mesmo. Muito perigoso e um tombo é certeiro para causar vários machucados, mas não nos meus filhos.
_Nessie não acho apropriado, isso é perigoso e a Bella não vai gostar desta ideia_ falei__ Eles são apenas crianças, isso não é ideal para brincar .
Louise me encarou com raiva e eu podia sentir ela com vontade de destilar seu veneno infantil.
_ Medroso, sempre com medo do que a” Bella” vai falar_ pode isso? Minha filha estava me desafiando, e o pior não é isso. A minutos atrás ela não estava rude desta forma comigo. Jacob panaca Black estava enfartando de rir as minhas custas.
_ De fato você é um covarde e fraco, _Black ria alto junto de Nessie e Louise _Com medo da Bella? Francamente é um maricas.
Eu estava senso humilhado, vendo isso Enzo segurou minha mão num aperto, ele estava me dando apoio. O que não adiantou nada. A minha palavra não valeu e muitos patins foram comprados, pra não ser o chato acabei por adquirir um também.
O caminho até a nova residência foi feito em silêncio, atribui isso ao cansaço das crianças, Nessie estava novamente pendurada no celular digitando freneticamente.
_Chegamos _anunciei ao entrar no local aparentemente muito seguro e de clima familiar.
Ajudei os meninos a descerem do carro, Bella parecia conhecer o barulho do motor do meu automóvel, em poucos minutos estava junto de nós e vistoriando as crianças se não tinham nenhum arranhão.
_Que saudades dos meus bebês, como foi o passeio?
Enzo sorriu e contou varias coisas que fizemos, já a Louise bufou irritada.
_Foi mais ou menos _ lá estava o vocabulário que Nessie estava ensinando minha garotinha.
_O lugar parece bom _elogiei tentando mudar de assunto, pra Bella esquecer o comentário da menina e não penar que fui um chato ou descuidado com o divertimento deles.
Sem me olhar ela respondeu.
_A equipe da Esme trabalhou muito bem, mas esta ainda não é a casa dos meus sonhos_ eu não entendi, mas Esme poderia me explicar.
Casa dos sonhos __Anotei mentalmente para descobrir isso.
_Crianças que tal patinarmos agora, eu vou ensinar vocês a se equilibrarem _Nessie causou o terror isso sim, Bella me fulminou com os olhos.
Afinal o que eu poderia fazer? Tentei me impor, mas de nada valeu.
_Bella eu juro que tentei proibir, mas eles não me ouviram_ entrei em minha própria defesa, e olha que ela nem tinha visto o tanto de coisas que comprei para os nossos filhos. Por hora os presentes ficariam no meu carro até a poeira abaixar.

_ Hum _ foi tudo que Bella disse.
Estava começando a concordar com Jacob, estou parecendo um maricas com medo da Bella. Contudo ele que não sabe que esta mulher tem o poder de me afastar ou proibir minha presença por perto dela e das crianças. Melhor não arriscar sua fúria, ela tem essa aparência calma mas quando fica nervosa sai de perto.
No final das contas estávamos, Bella e eu ajudando as crianças a ficarem de pé e arrastando eles sobre as rodinhas, apesar do perigo estava divertido.
_Agora é sua vez Edward_ Nessie me desafiou.
Isso não fazia a linha Masen, não mesmo.
_Acho melhor não _falei decidido.
_ não vai, é medroso_ a minha filha disse isso e pelo seu sorriso vitorioso ela estava tentando me tirar do sério.
Há muitos anos eu não fazia isso, mas Nessie me disse que é como andar de bicicleta e nunca se esquece.
Resolvi tentar, comecei devagar e aos poucos fui ganhando mais velocidade.
O vento na cara e a mistura da adrenalina estavam me deixando extasiado, era bom ser mais livre sem toda a preocupação de adulto. A cena estava engraçada no mínimo, empresário Masen vestido com seu terno caríssimo em cima de rodinhas de patins e se divertindo feito uma criança quando ganha pirulito. Pensei sobre mim mesmo.
Quando estava ganhando mais impacto e velocidade passo perto de Nessie e sinto mãos me empurrar. Foi tudo tão rápido que nem sei como aconteceu, só lembro-me de perder o controle e bater a cabeça no tronco de uma árvore e mesmo sobre o tecido do meu terno eu sinto meus joelhos e cotovelos ardendo pra caralho, pelo visto eu tinha me ferido.
_Edward você está bem? O que houve, perdeu o equilíbrio?_ Bella segurava o meu rosto, ela parecia preocupada comigo, Nessie e Jacob estavam com as crianças logo atrás. A cara deslavada de Nessie não me restou dúvidas, foi ela quem me empurrou e foi de propósito.
_Foi ela Bella, me empurrou por querer, com intenção de me ferir _ dedurei feito uma criancinha manhosa.
Bella encarou Nessie com um olhar de repreensão, eu tive vontade rir da cara de medo da garota.
_Bel você não percebe? Ele bateu com a cabeça esta alucinando coisas, não é Jacob?
O morenão concordou sem reclamar então era assim? Os dois estavam aprontando pra mim. Eu nem sentia tanta dor, mas estava disposto a lucrar com isso, fiz drama, caras e bocas fingindo estar sofrendo muito. Pelo menos causar algum peso na consciência deles.
_Jacob ajude o Edward a se erguer, vamos levar ele lá pra dentro, Nessie ajude o Jacob a levá-lo para o quarto de hospedes, apoie a cabeça dele no travesseiro mais alto._ Bella instruía.
Se ela fosse minha enfermeira, eu ficaria doente muitos dias.
_Bem que a Louise disse certo, você é mesmo um pamonha _Jacob reclamava enquanto me ajudava a entrar no quarto.
Depois que me deitei, percebi que meu corpo estava realmente doendo, também não sou nenhum garotão, as costas e pernas reclamavam pelo impacto da queda.
Bella entrou com as crianças pelo quarto, ela segurava um analgésico e copo d’água.
_Tome isso, se sentirá melhor em alguns minutos_ ela ordenou, adoro quando Bella manda em mim.
Tomei o remédio e cheguei à conclusão. Se Nessie podia me agredir, eu podia me fazer de vítima mais um pouquinho.
_Tem certeza Bella, por que isso dói demais _eu exclamava numa atuação que merecia um Oscar.
Louise correu até a cama e beijou minha bochecha.
_Desculpe Edward, eu não sabia que se te desobedecesse aconteceria isso, você esta dodói _ela estava chorando e agora era de verdade, não eram lagrimas forçadas.
Me senti tão mal por atuar na frente deles, Louise estava chorando por minha culpa, unicamente minha.
_Não é sua responsabilidade princesa, foi a sua tia Nessie que me empurrou, mas vamos esquecer isso. Logo estou curado.
Sequei as lágrimas do seu rosto e afaguei seus cabelos.
_ não gostei da sua namorada Edward, ela estava olhando pra gente, pra você, por isso fiquei mal __ dizia tudo isso entre soluços e fazendo biquinho __ não queria que você se machucasse _era isso a Louise estava com ciúmes da Luna. A julgar pela cara que Bella estava fazendo, minha filha não era a única enciumada. Sem dar chances de me explicar, Bella pegou o telefone e falou com raiva.
_Vou ligar para o seu pai vir te buscar, ele é médico e saberá cuidar de você, _ Sim. Bella estava irada. E eu estava adorando isso. Bom saber que ainda causo alguma emoção nela. Se bem que vindo dela, eu nunca sabia decifrar as suas emoções.
Talvez fosse raiva por pensar que uma estranha estava cercando as crianças. Era isso, Bella estava preocupada com os filhos.
_Eu bati com a cabeça, não posso ir embora e, além do mais, minhas pernas estão machucadas_ exclamei dengoso, eu não sairia daqui por nada, esta noite eu dormiria na casa da Bella.
Ela balbuciou algo,parecia nervosa ao cruzar os braços.
_Até onde sei você se feriu e NÃO quebrou as pernas. É melhor ir embora Edward_ ela estava decidida a me despachar daqui, mas com sorte Enzo intercedeu a meu favor amolecendo o coração de Bella.
_Mamãe o Edward está dodói, deixa ele ficar, eu ajudo a cuidar dele _meu filho tem um coração de ouro, um menino doce e cativante. Parece até uma vocação a forma que ele desperta o carinho nas pessoas.
Bella me lançou um olhar mortal, que dizia varias coisas e sabia que eu estava fingindo.
_Francamente vai deixa-los preocupados por nada __ ela revirou os olhos e apontou as crianças, mas em partes eu fazia isso pra ficar aqui junto deles também __Tudo bem você fica, mas comporte-se “espertalhão”. Assim que sentir “melhor “ quero que vá embora. Entendeu ?_ realmente , ela sabia que eu estava encenando.
Estava animado com esta noite, quando meus filhos dormissem eu me infiltraria no quarto de Bella e desta noite não passa, ferimento ou dor no corpo não me impediriam de tocar e possuir o corpo de Bella pra mim, só pra mim.
Porém, o barulho no andar de baixo mostrava que os meus planos seriam diferentes, muitas vozes e algumas eu conseguia reconhecer. Merda o que minha família estava fazendo aqui.
Percebendo o alvoroço Bella saiu do quarto levando as crianças consigo, eu não ficaria sozinho neste quarto. Com algum esforço eu levantei da cama e fui de encontro ao movimento.
Descendo as escadas devagar e olhando os degraus eu não tinha notado quem estava na sala, me surpreendi ao ver minhas duas irmãs com seus maridos, Tânia estava sentada ao lado de Jacob e Nessie.
_O que vocês fazem aqui?_ perguntei mal humorado, eles estavam atrapalhando meus planos, olhei pela vidraça da janela constatando esta entardecendo as cores do dia que começavam a serem substituídas pela escuridão da noite.
Rosalie mantinha a mesma opinião, chateada comigo. Pela expressão no seu rosto.
_Eu que lhe pergunto. O que faz aqui Edward Masen?_ Rosalie ainda estava me evitando, mas pelo seu tom de voz ela começou a ficar preocupada pelo jeito encolhido que eu estava caminhando, o problema é que ela é muito orgulhosa pra admitir.
Bella interferiu ao meu favor não deixando dúvidas a Rosalie quanto a minha presença.
_Bem o Edward passou a tarde com as crianças e agora a pouco se machucou brincando com patins_ todos me olhavam assustados. Qual é? Só porque tenho esta cara séria e sou muito focado no trabalho, não quer dizer que não saiba me divertir ou entreter meus filhos.
Com algum cuidado me sentei no sofá ao lado de Enzo, eu estava meio perdido, um lugar onde esta Emmett e Tânia é meio difícil se concentrar, não se sabe qual é mais sem noção.
_Pessoal! Eu vou pedir pizzas para nós, vamos escolher o que pedir_ Nessie sugeriu e todos acataram a ideia.
Ao que tudo indica os meus planos seriam adiados. Merda, mil vezes merda, mais uma vez experimentaria a força das minhas mãos em volta do meu pau irritado pela falta de uma casinha quente onde se abrigar.
E amanhã as manchetes dos jornais serão: Executivo Edward Masen é afastado do trabalho por problemas de saúde, amigos do empresário informaram que ele vinha sofrendo de bursite, quando na verdade estava sofrendo de LER, a doença de movimentos repetitivos ao masturbar seu pau que não encontra algum alivio a um bom tempo.
**

2 comentários :

  1. A cada capitulo a fic fica melhor ainda. Agurdando pelo próximo.

    ResponderExcluir